quinta-feira, 6 de março de 2008

Teste os seus conhecimentos

Os Lusíadas e Mensagem: "O dos Castelos"

"O dos Castelos"

A Europa jaz, posta nos cotovelos:
De Oriente a Ocidente jaz, fitando,
E toldam-lhe românticos cabelos
Olhos gregos, lembrando.

O cotovelo esquerdo é recuado;
O direito é em ângulo disposto.
Aquele diz Itália onde é pousado;
Este diz Inglaterra onde, afastado,
A mão sustenta, em que se apoia o rosto.

Fita, com olhar esfíngico e fatal,
O Ocidente, futuro do passado.

O rosto com que fita é Portugal.

Fernando Pessoa

Classifique as afirmações seguintes em verdadeiras (V) ou falsas (F):

1 - Este poema de Mensagem está inserido na segunda parte - BRASÃO - e, dentro desta, num primeiro momento - Os Campos.
A) V
B) F

2 - O campo é a parte interior do escudo que, no caso do brasão português, tem duas partes: a dos Castelos e a das Quinas. Daí o título do poema: "O [campo] dos Castelos".
A) V
B) F

3 - O outro poema que compõe este primeiro momento chama-se "O das Quinas".
A) V
B) F

4 - A Europa aparece personificada neste poema de Mensagem.
A) V
B) F

5 - A Europa aparece como uma figura feminina de "românticos cabelos" e "Olhos gregos" -"heranças" respectivamente do Norte (gregos) e do Sul (românticos); apoiando o rosto - que é Portugal - na mão direita, a Europa olha fixamente para Ocidente.
A) V
B) F

6 - O "olhar esfíngico e fatal" dá conta da atitude expectante e contemplativa, enigmática e misteriosa, com que o velho continente "Fita (...) O Ocidente" que representa a sua vocação histórica, o "futuro" que a Europa já desvendou no "passado" e que se apresenta, agora, como promessa de futuro.
A) V
B) F

7 - Podemos afirmar que a posição dos "cotovelos" evoca as raízes culturais da identidade europeia.
A) V
B) F

8 - A posição dos "cotovelos", estrategicamente colocados em Itália e Inglaterra, reitera a referência às raízes culturais da identidade europeia, o Norte e o Sul, a cultura romântica e a cultura grega.
A) V
B) F

9 - "Jazer" significa "estar deitado" mas também "estar morto ou como morto".
A) V
B) F

10 - Poderá entrever-se, no uso deste verbo, uma referência à necessidade de "despertar um continente adormecido" que será conduzido por Portugal na procura de um novo império espiritual.
A) V
B) F

11 - O último verso do poema evidencia o papel que o sujeito poético preconiza para Portugal: guiar a Espanha.
A) V
B) F

12 - A construção poética passa também pelo jogo no espaço e no tempo:
Oriente/Ocidente; Futuro/Passado.
17

Eis aqui se descobre a nobre Espanha,
Como cabeça ali de Europa toda,
(…)

20

Eis aqui, quase cume da cabeça
De Europa toda, o Reino Lusitano,
Onde a terra se acaba e o mar começa
E onde Febo repousa no Oceano.
Este quis o Céu justo que floreça
Nas armas contra o torpe Mauritano,
Deitando-o de si fora; e lá na ardente
África estar quieto o não consente.

21

Esta é a ditosa pátria minha amada,
À qual se o Céu me dá, que eu sem perigo
Torne, com esta empresa já acabada,
Acabe-se esta luz ali comigo.
(…)

Luís de Camões, Os Lusíadas, Canto III, Porto Editora

A) V
B) F

13 - Os versos supra mencionados pertencem a Vasco da Gama que apresenta a Europa e Portugal ao rei de Melinde.
A) V
B) F

14 - Tal como no poema da Mensagem, Portugal é aqui apresentado como "cume da cabeça/De Europa toda".
A) V
B) F

15 - Neste excerto de Os Lusíadas o olhar para o passado é focalizado na vocação asiática de Portugal.
A) V
B) F

16 - Neste excerto faz-se referência à expulsão dos Mouros do seu próprio território e às campanhas africanas de D. João l, D. Duarte, D. Afonso V e D. João II que deram origem à ocupação de vários pontos do Norte de África.
A) V
B) F

17 - Em ambos os textos não há qualquer sentimento de patriotismo.
A) V
B) F

18 - No poema de Pessoa, salienta-se o nacionalismo profético da referência ao papel que cabe a Portugal na liderança da Europa.
A) V
B) F

19 - Nos versos de Camões é visível o confessado amor do narrador - Luís de Camões - pela "ditosa pátria" onde deseja morrer depois de ter levado a cabo a sua missão.
A) V
B) F

20 - O que os versos de Camões têm de misterioso os de Pessoa têm de afirmativo.
A) V
B) F

Sem comentários:

Mensagem

http://www.paulacruz.com/bin/documentos/A___mensagem.doc
Loading...

Obras de leitura integral - 12º ano

  • Felizmente há luar! Luís de Sttau Monteiro
  • O Memorial do Convento, de José Saramago

Só há ventos favoráveis para quem sabe para onde vai