quinta-feira, 6 de março de 2008

Teste os seus conhecimentos

Mensagem: uma abordagem geral

Escolha a opção correcta:
1 - “Mensagem” foi o único livro em português que Fernando Pessoa publicou em vida. Contém 44 poemas escritos:
A) entre 21 de Julho de 1813 e 16 de Março de 1834
B) entre 21 de Julho de 1913 e 16 de Março de 1934
C) entre 21 de Julho de 1813 e 16 de Março de 1934
D) entre 21 de Julho de 1950 e 16 de Março de 1974

2 - “Mensagem” representa, no universo poético pessoano, uma linha temática do nacionalismo, sebastianismo e uma linha estética simbolista.
A) verdadeiro
B) falso

3 - A obra “Mensagem” contém marcas simultaneamente épicas e líricas devido ao facto de Fernando Pessoa exprimir uma concepção trans-histórica e mítica sobre as diversas figuras que decorrem na obra, prefigurando o surgimento da pátria cultural portuguesa que constituiria o Quinto Império.
A) verdadeiro
B) falso

4 - Os 44 poemas que constituem a obra encontram-se agrupados em:
A) duas partes que correspondem às etapas da evolução do Império Português: nascimento e realização
B) quatro partes que correspondem às etapas da evolução do Império Português: nascimento, desenvolvimento, expansão e morte
C) três partes que correspondem às etapas da evolução do Império da Península Ibérica: nascimento, realização e morte
D) três partes que correspondem às etapas da evolução do Império Português: nascimento, realização e morte

5 - A estrutura tripartida da obra relaciona-se com a ideia de que as profecias se realizam três vezes, ainda que de forma diferente, em três tempos distintos.
A) verdadeiro
B) falso

6 - O assunto da “Mensagem” é:
A) os portugueses ou os eventos concretos
B) a essência de Portugal e a sua missão a cumprir

7 - Cada uma das partes da Mensagem começa com uma expressão latina, adequada à parte simbólica a que pertence. Fernando Pessoa inicia o poema com:
A) a expressão latina Benedictus Dominus Deus noster que dedit nobis signum (Bendito o Senhor Nosso Deus que nos deu o sinal), remetendo, de imediato, para o sentido simbólico e messiânico que o percorre
B) A expressão Bellum sine bello (Guerra sem guerra) a sugerir, pelo jogo dos oxímoros, que havia um espaço que tinha de ser conquistado pois fazia parte de um desígnio

8 - Na segunda parte, ocorre:
A) a expressão latina Possessio maris (Posse do mar), a traduzir o domínio dos mares e a expansão
B) a expressão latina Pax in excelsis (Pax nos céus), que marcará o Quinto Império

9 - A segunda parte inicia-se com o poema:
A) “Infante”, onde o poeta exprime a sua concepção messiânica da História, mostrando que o braço do herói é movido por Deus como causa primeira, o Homem como agente intermédio e a obra como efeito
B) “Mar Português” que procura simbolizar a essência do ideal de ser português vocacionado para o mar e para o sonho

10 - O poema termina com um Valete Frates (Felicidades, irmãos), acreditando no desígnio de um reino de fraternidade, graças ao:
A) Quarto Império, e assumindo um carácter de incentivo ("Força, irmãos") para a construção desse novo Portugal
B) Quinto Império, e assumindo um carácter de incentivo ("Força, irmãos") para a construção desse novo Portugal
C) Terceiro Império, e assumindo um carácter de incentivo ("Força, irmãos") para a construção desse novo Portugal

11 - A terceira e última parte:
A) “Mar Português” - encontra-se tripartida em “Os símbolos”, “Os avisos” e “Os tempos”
B) “Brasão” - encontra-se tripartida em “Os símbolos”, “Os avisos” e “Os tempos”
C) “Encoberto” - encontra-se tripartida em “Os símbolos”, “Os avisos” e “Os tempos”

12 - “Mensagem” recorre ao ocultismo para criar o herói, o Encoberto, que se apresenta como:
A) D. Sebastião
B) D. Afonso Henriques
C) D. Dinis
D) D. Miguel

13 - Como define o mito sebastianista?
A) crença popular no regresso, em manhã de nevoeiro, do rei D. Sebastião desaparecido na Batalha do Salado (1578), mas cujo corpo nunca chegou a ser identificado com segurança. A expectativa do Encoberto converte-se em mito, na esperança de melhores dias, de felicidade nacional, de justiça e de grandeza
B) crença popular no regresso, em manhã de nevoeiro, do rei D. Sebastião desaparecido em Alcácer Quibir (1578), mas cujo corpo nunca chegou a ser identificado com segurança. A expectativa do Encoberto converte-se em mito, na esperança de melhores dias, de felicidade nacional, de justiça e de grandeza
C) crença popular no regresso, em manhã de nevoeiro, do rei D. Sebastião desaparecido na Batalha do Sebastião (1578), mas cujo corpo nunca chegou a ser identificado com segurança. A expectativa do Encoberto converte-se em mito, na esperança de melhores dias, de felicidade nacional, de justiça e de grandeza

14 - Em cada uma das partes que concorrem para totalidade se podem encontrar figuras dominantes:
A) Nun' Álvares, o Infante, D. Sebastião II
B) Nun' Álvares, D. Filipe I, D. Sebastião
C) Nun' Álvares, o Infante, D. Sebastião
D) Nun' Álvares, D. Filipe II, D. Sebastião

15 - No poema “Padrão”, o símbolo cristão é utilizado com uma função polissémica:
A) a espada é, simultaneamente, o símbolo do cristianismo e da vontade insondável de Deus
B) a cruz é, simultaneamente, o símbolo do cristianismo e da vontade insondável de Deus
C) a rosa é, simultaneamente, o símbolo do cristianismo e da vontade insondável de Deus

16 - O poema “D. Dinis“ alude a um tempo futuro em relação ao rei que, contudo, o preparou, ao plantar a matéria-prima com que seriam feitas as naus dos navegadores portugueses, aquelas que permitiriam a conquista de um Império.
A) verdadeiro
B) falso

17 - Em que parte se situa o poema “D. Fernando, Infante de Portugal”?
A) na primeira parte
B) na segunda parte
C) na terceira parte

18 - O Mostrengo simboliza o mar, a sua faceta desconhecida, oculta, os perigos e o medo com que os portugueses se confrontam.
A) verdadeiro
B) falso

19 - Ao «padrão» (marco de pedra com emblemas simbólicos, que assinalava a posse de Portugal sobre as terras descobertas) é atribuída, no poema “O Padrão”, uma das seguintes funções:
A) assinalar a passagem de «Eu Diogo Cão» pelo «areal moreno», ou seja, o cumprimento da parte que lhe cabe na realização da «obra ousada»
B) testemunhar, pelas «espadas» gravadas no monumento, o domínio português do oceano

20 - A referência a Ulisses, figura mítica vinda do mar, simboliza o destino marítimo dos Portugueses.
A) verdadeiro
B) falso

2 comentários:

paula disse...

Permita-me uma sugestão:
o anApintura.blogspot.com tem 3 trabalhos de pintura sobre a poesia de Fernando Pessoa, um dele é O mar portuguez. talvez goste!!
Paula

abel disse...

Muito obrigado pela sua excelente sugestão, pAULA!
Os trabalhos da artista plástica que me deu a conhecer, pela sua óptima qualidade,incluindo os textos que os acompanham merecem ser contemplados.
É, de facto, um blog a visitar,a sugerir e a registar.
Um resto de dia feliz!
Obrigado!
Abel

Mensagem

http://www.paulacruz.com/bin/documentos/A___mensagem.doc
Loading...

Obras de leitura integral - 12º ano

  • Felizmente há luar! Luís de Sttau Monteiro
  • O Memorial do Convento, de José Saramago

Só há ventos favoráveis para quem sabe para onde vai